GLOBO MINAS NÃO VAI TRANSMITIR ELITE DO MINEIRO

SEM POUSÃO NA TV

www.radiopousoalegre.com.br

Emissora carioca reduziu valores e clubes já conversam com outras TVs e plataformas. Record fechou com Carioca e Paulista, o que indica que Globo não deve seguir em Minas

O futuro dos direitos de transmissão do Campeonato Mineiro de 2022 está indefinido. E, com isso, todo o planejamento dos times do interior para a próxima temporada. A competição começa no fim de janeiro. Tradicional comprador dos direitos de transmissão no futebol brasileiro desde a década de 70, o Grupo Globo enxugou gastos por conta da pandemia e mudou sua política diante do maior esporte nacional.

A Globo, que já tinha perdido o monopólio das transmissões da janela de 2019 a 2024 para a Turner, na TV fechada, também abriu mão de contratos da Copa Libertadores no ano passado. E, recentemente, viu a Record TV fechar acordos com os Campeonatos Paulista e Carioca para 2022. Em Minas Gerais, o terceiro Estadual mais bem pago do país, também sofreu um forte baque.

Em 2021, no seu último ano de contrato, a Globo pagou R$ 43 milhões, valor que contemplava todas as mídias (aberta, fechada, pay-per-view e internet). Como não há premiação no Estadual, a cota era repartida entre os clubes. Os grandes Atlético e Cruzeiro levavam cerca de R$ 14,5 milhões cada, o América, R$ 4 milhões, e o restante era repartido com as equipes do interior e a Federação Mineira de Futebol (FMF), que conduz as negociações. Os times do interior ganhavam cerca de R$ 900 mil.

A Globo tinha a preferência para a renovação do contrato do Campeonato Mineiro, mas a emissora apresentou uma proposta cinco vezes menor e em um novo formato. Segundo apurou o Super.FC, a emissora ofereceu um valor fixo para os clubes entre R$ 8 milhões e R$ 10 milhões referente à exibição em TV aberta.

Ela também propôs uma cota variável de percentual do pay-per-view, que seria mensurável de acordo com a venda de pacotes para cada torcida.

Na conta da empresa, os ganhos girariam entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões. Mas esses valores não eram garantidos e cairiam, em grande parte, na conta de Atlético e Cruzeiro, que têm torcidas maiores.

Essa, de toda forma, era a proposta da Globo para o Campeonato Mineiro, que não foi eliminada oficialmente ainda, mas tudo indica que a Globo sairá da transmissão, o que causa uma verdadeira revolução nos clubes do interior, que precisam da verba para sobreviver. Os acordos da Record TV com os dois maiores Estaduais do país, no entanto, aumentaram o pessimismo para o lado das montanhas de Minas.

Passado o período de exclusividade contratual da Globo, a FMF, em consonância com os clubes, abriu conversas com outros players de mercado, dos mais tradicionais às novas tecnologias.

Existem propostas da Band Minas para a TV aberta e da Amazon, da WarnerMedia, do OneFootball e da TV NSports para pay-per-view. Aconteceram conversas, mas as negociações ainda não avançaram. O certo é que nenhum delas chegará ao patamar atual oferecido pela Globo. A Record, que também se reuniu com a federação, não teria interesse, neste momento.

matéria de Sem acordo com Globo, Mineiro pode deixar formato tradicional. Veja alternativas | SUPERFC (otempo.com.br)